domingo, 1 de fevereiro de 2015

Virada em Caraguatatuba

Virada em Caraguatatuba





                Foi uma pernambucana que vivia em Barcelona que me disse uma vez: “ Algumas das praias mais bonitas que conheci no Brasil estão em São Paulo.”  É uma afirmação no mínimo curiosa, vinda de quem nasceu na região praiana mais cobiçada do país. Ela rebatia meu argumento de incluir a Barceloneta no roteiro de visita da badalada região espanhola,  porque nós moramos em São Paulo, não tem praia na nossa cidade.
                Eu ainda não conhecia o litoral norte de São Paulo, onde realmente estão as praias mais bonitas do estado. Mas depois da observação da moça, comecei a ter uma vontade imensa de viajar por todo o litoral paulista e investigar sua teoria. Quando você conhece Ubatuba, por exemplo, não tem mais vontade de voltar à parte sul da costa paulista.  A garota tinha alguma razão.
                Foi mais ou menos nessa expectativa que decidimos o destino da nossa viagem de fim de ano em família. Já faz alguns anos que descemos a serra na virada.  A cidade escolhida dessa vez foi Caraguatatuba.  
Alguns dos meus amigos acham careta esse tipo de evento familiar. Eu não acho. Passamos o ano todo planejando e no final sai quase tudo fora do planejado. Aquele tumulto para decidirmos aonde vamos, a briga para lavar a louça, as histórias da infância que meu tio sempre desenterra, as memórias da família, os desejos de início de ano, as orações. Tudo vale a pena!
De vez em quando até surgem novas expressões. As fatias húngaras da minha mãe viraram o tesouro da Polônia. Não pode faltar mais no café da manhã. A confusão que meu tio faz com o nome das coisas garante a piada pelo resto do ano. 
Antes o barato era só ficar por ali mesmo onde alugávamos a casa. Agora estamos tentando explorar um pouco mais os arredores. Dessa viagem animada, deixo algumas impressões que tive do lugar.  Tudo bem singelo, porque a gente gosta assim.
       Começo por indicar uma rede de sorvetes que conheci em Caraguá. Nada combina mais com o clima praiano  (paulista, pelo menos)  do que aquelas centenas de sorveterias espalhadas pelas calçadas das avenidas Beira-mar . Foi assim que descobri uma rede de sovertes de frutas que me deixou apaixonada. Frutos de Goiás. Delícia! Apesar do nome, acredito que eles façam picolés de quase todas as frutas do Brasil.  O de castanha do Pará é divino. Ainda fiquei com vontade de experimentar o de tapioca. E não resisti à mistura mais deliciosa que conheço: chocolate com laranja! Vale a pena procurar.
                 Além de experimentar as gostosuras gastronômicas locais, gosto também de eleger o cantinho preferido da temporada.  Para mim, o que mais ficou marcado dessa viagem foi o lago.
                
Lagoa Azul



    A Lagoa Azul, como é conhecida por lá, fica na linda praia do Capricórnio. Só que o mar é de tombo e não pareceu muito frequentado. O que vale a pena mesmo por ali é o lago com sua água morninha. Foi nossa diversão por vários dias no fim da tarde.
Lagoa Azul
Outra coisa que estamos aproveitando é a possibilidade de conhecer as cidades próximas! Fomos à praia do Lázaro, em Ubatuba. No outro dia, na vizinha do outro lado, São Sebastião, pegamos a balsa e esticamos um pouquinho até a Ilha Bela. A ilha vale um post só pra ela e uma visita exclusiva.
O ponto negativo dessas cidades na alta temporada é o trânsito. No dia 1 levamos 6h para voltar de Ubatuba para Caraguatatuba. Foi o dia mais estressante, porém, em todos os outros tivemos que enfrentar uma fila grande de carros de uma praia pra outra.
Nossa hospedagem ficava em Porto Novo, onde vimos a queima dos fogos! Houve duas queimas na cidade. Soubemos depois que o espetáculo do centro teve um grande tumulto. Graças a Deus, optamos por ficar na opção mais próxima da casa.  Por ali também aconteciam os shows gratuitos promovidos pela prefeitura. Pessoalmente, não eram artistas do meu gosto musical, mas deu pra nos distrair à noite.
Quando gostamos de viajar, aprendemos a descobrir os encantos de cada lugar. Não sei se são as praias mais bonitas do Brasil, já que ainda faltam muitas para eu conhecer. Talvez a moça da Espanha tenha outra visão de mundo. Mas o que realmente fica de toda viagem é que qualquer destino é válido quando a companhia é boa.
Valeu família!
Família Ortiz na Lagoa Azul, Caraguatatuba.

Caminhada pela praia do Capricórnio até a Lagoa Azul
Lado oposto da praia do Capricórnio





                
Postar um comentário

Comente com o Facebook:

Comente com o Facebook: